comportamento, Textos da mari

O tal do tempo…

IMG_20170708_154653

Esta semana, eu tomei um susto do tempo. Uma das fotografias do painel que tenho perto da cama me chamou a atenção e parecia querer me mostrar que a vida está correndo mais depressa do que estou percebendo. É que o tempo tem disso. Quando a gente pensa que o tem na mão, ele passou.

Entre os muitos sorrisos que tenho colados na minha parede, um de 2008 gritou pedindo atenção. É engraçado que me lembro do momento da fotografia como se ela tivesse sido feita ontem. Ou melhor, hoje pela manhã. Eram férias de julho e eu estava no sítio da minha tia. Com mais 12 primos. Era um dia qualquer da semana, pouco importava para o bando de adolescente que estava curtindo os dias de sol. A nossa única preocupação era qual a banda que tocaria na pracinha do Paracuru naquela noite. Era esse o nosso destino no momento em que a foto foi feita. Estamos todos dentro de uma Kombi – sim, essa história é ótima e eu conto outro dia – e íamos curtir o resto do mês na casa de veraneio.

A foto foi feita da câmera digital Cyber Shot que eu havia ganhado de presente de 15 anos recém completados. Em 2008, isso era o máximo. Na época em que a foto foi tirada, eu estava no 1° ano do ensino médio e queria ser psicóloga. Imaginava que aos 24 anos, idade que tenho hoje, eu estaria com uma carreira absolutamente estável, casada (?) e já teria viajado metade do mundo.

Pois é, não foi. O tempo passou e eu não vi. Os 24 chegaram e eu não tenho uma carreira estável e ainda perco noites de sono com os trabalhos da faculdade. Não estou casada e nem tenho planos para fazer isso tão cedo. Na verdade, nem sei mais se quero. E o mais perto que eu cheguei de viajar o mundo foi assistido os programas da TV a cabo. Admito, olhar para fotografia e encarar tudo isso me deixou deprimida.

Tem horas que eu ainda me sinto a menina de 15 anos. Me perco fazendo planos que, provavelmente, não irão se realizar. Como os que eu fiz há quase uma década. Depois de “curtir” a depressão de estar ficando velha e assumir que eu já sinto o peso da idade, me peguei pensando no que eu não tinha planejado e que aconteceu.

Bom, não fiz vestibular para psicologia. Hoje, estudo jornalismo e estou na reta final do curso. Não me arrependo da escolha que fiz. Na verdade, me encontrei. Gosto do que faço, do que estudo. E percebo que ainda tenho tempo para estudar psicologia. Ou letras. Ou medicina. Ou qualquer outra coisa que eu tenha vontade.

O fato é que quando somos criança fazemos muitos planos para quando crescer. Parece que só seremos algo na vida ou para mundo quando a gente crescer. A gente não percebe que está crescendo todo dia. E que todo dia somos algo para alguém ou para o mundo. Ou para nós.

Dos meus 15 anos para cá, poucos planos se realizaram como eu imaginei. Mas, eu sou alguém. E sou importante. No fim, ainda sou a mesma Mari. Um pouco menos sonhadora? Talvez. Ou talvez não. Um tanto mais cuidadosa comigo e com os que cercam. Ciente do meu papel na vida dos que eu amo e quero bem. E ciente do meu papel comigo.

E, ao olhar de novo para fotografia, tive vontade de dizer para a Mari de 15 anos ser mais ela e não ter vergonha de nunca ter beijado na boca. Ou de nunca ter tido coragem de tomar aquela cerveja escondida. Tive vontade de dizer para ela que as notas da escola nem são tão importantes assim. E que ouvir Caetano e Chico Buarque não é feio. Tive vontade de dizer para ela que o universo que ela tanto quer conquistar está bem pertinho dela. Basta ela olhar com atenção.

É que quando a gente cresce, deixa de ser o mundo e passa ser a gente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s